Volte ao SPIN

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Clementina de Jesus

Clementina de Jesus da Silva (Marquês de Valença, 7 de fevereiro de 1901Rio de Janeiro, 19 de julho de 1987) foi uma cantora brasileira de samba. Também era conhecida como Tina ou Quelé.

Nascida no interior do estado do Rio, mudou-se com a família para a capital do estado, radicando-se no bairro de Osvaldo Cruz. Lá acompanhou de perto o surgimento e desenvolvimento da escola de samba Portela, freqüentando desde cedo as rodas de samba da região. Em 1940 casou-se e mudou para a Mangueira. Trabalhou como doméstica por mais de 20 anos, até ser "descoberta" pelo compositor Hermínio Bello de Carvalho em 1963, que a levou para participar do show "Rosa de Ouro", que rodou algumas das capitais mais importantes do Brasil e virou disco pela Odeon, incluindo, entre outros, o jongo "Benguelê". Devota da Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro, participava de festas das igrejas da Penha e de São Jorge, cantando canções de romaria. Considerada rainha do partido alto, com seu timbre de voz inconfundível, foi homenageada por Elton Medeiros com o partido "Clementina, Cadê Você?" e foi cantada por Clara Nunes com o "P.C.J, Partido Clementina de Jesus", em 1977, de autoria do compositor da Portela Candeia.

Leia mais

http://pt.wikipedia.org/wiki/Clementina_de_Jesus

Disco da semana: O Canto dos Escravos - Clementina de Jesus, Tia Doca e Geraldo Filme


O disco escolhido para passar a semana ali no canto direito dessa vez não é nem de samba ou de choro. E sim de cantos (jongos, vissungos e ladainhas) que foram recolhidos na região de São João da Chapada, em Diamantina, Minas Gerais por Aires da Mata Machado Filho.