Volte ao SPIN

sexta-feira, 29 de março de 2013

Da proximidade entre animais e humanos
















Parece uma cotia
E?
Eu tinha uma dessa quando era pequeno
Ela tão mansa que ia pro mato e voltava
Aliás, ou será uma que morava nomato que era tão mansa que vinha bricnar comigo
Sim
Isso
Morávamos  na roça
Num casebre que para mim nós era uma mansão
Oh que saudades daqueles tempos em que morrida de dó o rebanho de bovinos pranteando seus mortos
Eles eram exatos
Se meu pai matava uma vaca hoje eu contava nos desdos
No sétimo dia, ali por volta de 8 horas da manhã, de longe eles começavam a prantear o morto, alias, a falecida
(    ) Membro da familia
O rebanho todinho chegava superecitado vacas tremendo de emoção
Todos chorando
Interessante se notar que tem gente que não acredita
Pensa que é invenção minha
Uma pena que eu não tenha filmado, isso foi entre 1959, quando nasci, e 1969, qquando saiu do meu paraíso para a cidade que para mim era uma metrópole: Sambaíba - Rio Balsas,  uns 500 habitantes no máximo para que para mim era uma grande cidade, tudo era tão grande, meu pai, tudo
Meu pai atravessou a todos nós numa canoa
Uma única viagem por uma questão de economia
Todos naquela canoa naquele rio cheio que parecia um mar e com os bichos sendo puxados em cordas Link para a imagem: Facebook de Maria Pavka

A água entrando na embracação
Como morávamos no deserto, ninguém sabia nadar, ningue´m, e salva-vidas nem pensar
Chegamos todos sãos e salvos
Exceto a cotia que, colocada dentro de um saco, morreu

Nenhum comentário: