Volte ao SPIN

domingo, 10 de outubro de 2010

Extrema-direita americana na campanha do Serra

Claro que os falcões americanos estão na campanha do Serra assim como estiveram em Honduras para derrubar Zelaya. Alguma dúvida? TFP,Opus dei e o que a pior do reacionarismo, todos engajados para derrubar Lula/Dilma

Está pior do que o golpe de Honduras e isto é fácil de entender, lá em Honduras descobriram jazidas de petróleo e, aqui, o pré-sal, um mar de onde jorra grana, muita grana,  claro que esta gente da Ku Klux Klan não iria  ficar parada

O  marqueteiro do Serra se mudou para os estúdios do Jornal Nacional para selecionar os piores momento de Dilma e os melhores do Serra.

O JN só coloca Dilma se defendendo, sendo questinonada sobre temas que não são consenso na sociedade, o aborto por exemplo, de forma a dividir seu eleitorado, enquanto o Serra só é mostrado falando dele mesmo e seu "Governo de União Nacional"

Leiam isso do Rodrigo Vianna:

Ficha falsa: da "Folha" ao poste na periferia


A ficha falsa da Dilma – publicada pela "Folha" na primeira página – chegou à periferia de São Paulo.
Uma leitora enviou-me as fotos que ela mesmo fez - com a ficha pregada nos pontos de ônibus da zona leste.
Anotem aí: essa é a próxima onda preparada pela campanha de Serra: a Dilma "guerrilheira". A mídia ("Folha", "Veja" e "Globo") ajuda, mas o que vale mesmo é o corpo a corpo – na internet, na boataria que ganha as ruas.
Quando o PT começa a responder um boato, aparece outro. Sempre na defensiva, corre risco real de perder.
A campanha de Dilma demorou a perceber que o perigo – no primeiro turno – não vinha (só) da grande mídia. Mas da boataria conservadora, disseminada pelas igrejas.
A bala de prata não era uma só. Eram várias. E seguem fazendo efeito.
Se, em vez de consultar só pesquisas qualitativas e marqueteiros, a campanha do PT prestase atenção ao que está nos blogs, aqui na internet, teria reagido antes. Escrevi durante 3 semanas sobre a boataria religiosa. Dilma só reagiu a 3 dias da eleição.
Agora, apresentamos aqui as fichas nos postes da periferia. É terrorismo completo.
Quando a "Folha" fez  o que fez (e isso depois de ter chamado ditadura de "ditabranda"), a Dilma reagiu – mas de forma moderada. Tinha que ter procesado o jornal e se recusado a receber a "Folha" em qualquer outro evento. Não o fez.
Não se brinca com a direita.
Há uma campanha  muito bem montada para entregar o Brasil à direita. Campanha com um pé no Vaticano e outro nos EUA. A ela aderiu Serra – o sujeito que militou na esquerda na juventude.
A biografia de Serra pode-se resumir assim: da AP à TFP.
Mas a Dilma quer fazer campanha boazinha na TV. Devia é mostrar que a direita paulista – que domina a campanha de Serra – não gosta de nordestino. Tinha que mostrar isso na TV. E espalhar pela internet. Até porque é a pura verdade.
Do outro lado, está a maior máquina conservadora desde o golpe de 64.
Se Serra ganhar, com essa coalizão que está ao lado dele, teremos terra arrasada e um clima de conflagração no Brasil.
http://www.rodrigovianna.com.br/plenos-poderes/ficha-falsa-da-folha-ao-poste.html#comment-23316

Nenhum comentário: