Volte ao SPIN

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Dilma x questões polêmicas que estressam a candidata. Como lidar com isso para manter o pique até o final. E os 50 reais que o PSDB está pagando para os eleitores? Já estão cadastrando.

Em off.

A campanha de Dilma melhorou a partir do debate na Band, mas precisa melhorar ainda mais

Alguns blogueiros consideram(melhor do que usar a palavra "acho", melhor eu considero do que eu acho) que Dilma se saiu bem no debate, o Brizola Neto acha que poderia ter sido melhor.

Eu considero que Dilma não está se saindo bem no trato das questões polêmicas que lhe são empurradas pela mídia. Nem sei se haveria como se sair bem de questões polêmicas. A tática do Serra quando lhe colocam questões polêmicas é fugir, escorregar feito quiabo. Se isso dá certo, acho que sim, o eleitorado não percebe a fuga dele, a não ser quando, num debate, a Dilma mostra: ele é fujão!!!

Uma questão polêmica, ou seja, que não é consenso na sociedade, tem como objetivo dividir a opinião publica, ou seja, o eleitorado de Dilma.

Isto acontece quando elaborados um simples texto sobre questões não consensuais, tais como aborto, descriminalização das drogas, parceria civil de homossexuais, etc.

Dilma deveria driblar estes repórteres e dizer que esta eleição não pode ficar pautada somente neste assunto,,,e assim fale do pre-sal, banda larga, e prometa para os eleitores o trem-bala, banda larga.

Imagina só se o Serra não vai aproveitar o tempo dele no JN para fazer sonhar os boys que ganham 1 SM. Ontem dentro do ônibus fiquei olhando para a cara de uns boys. Pensei, eles não tem cara de quem votam no Serra mas por causa do SM de 600 reais podem votar sim.

..

Dilma/Lula fizeram muito nestes 8 anos mas, em termos do que irão fazer, do que prometeram para os segmentos sociais(negros, assalariados, aposentados, bolsa familia) não podemos negar que a nota é zero. Ao contrário da campanha de Lula em 2006, quando Lula fez o Brasil sonhar. E campanha é pé no chão mas é, antes de tudo, fantasia, embalo, promessas mesmo que não cumpríveis.

Voltando ao assunto do JN...

Dilma mordeu a isca, não sei como ela deveria ter escapado do assunto aborto. Sinto que há uma saída para um candidato se sair bem diante de questão polêmica, com certeza há, não sei como.
A ordem de Ali Kamel é:

Para a Dilma façam apenas perguntas que não são consenso na sociedade. Assim uns ficarão a favor dela e outros contra. De forma que de uma certa forma ela perca eleitores. Já que nem todos são a favor do aborto, façam esta pergunta a Dilma mesmo que ela seja contra. Assim conseguiremos dividir o eleitorado dela.

Para Serra apenas perguntas consensuais, nada de questão polêmica. Já que todos são contra a corrupção perguntem a ele sobre o mensalão do PT e nada sobre o mensalão do DEM, Paulo Preto...

Outros problemas da campanha:
O PSDB cadastrando pessoas para trabalhar na campanha. 50 reais por 4 horas. Os fiscais ficarão nas redondezas do local de votação. Claro que farão boca de urna se a vigilancia estiver fraca. Claro que estes que ganharão 50 reais votarão em Serra. Isto é compra de votos. Que se estabeleça uma quantidade para estes fiscais. Se bem que isto será inócuo. Eles pagarão os 50 reais ao eleitor a titulo de estarem contratando cabo eleitoral. 50 reais para cada eleitor o Serra pode bancar.Bilhões foram roubados. Roubam para voltar ao poder. Triste lógica.

...Brizola Neto sobre Dilma no JN..

Depois de ouvir o que intelectuais, artistas e, sobretudo, a fala de Leonardo Boff no encontro do Teatro Casagrande, chega a dar tristeza ter de comentar a entrevista que o Jornal Nacional fez com Dilma, hoje. Mas a gente, mesmo quando ouve o que são raciocínios graúdos, não podem fugir das miudezas torpes que faz o principal veículo de comunicação do país.
Assista aí em cima a entrevista. Paciência com os primeiros minutos, onde o Bonner tentar impingir a conversa do aborto – Dilma deveria ter lhe dado um fora, mas não deu. Mas, depois, quando a provocação passou para o tema Erenice, Dilma foi muito bem, e mostrou as diferenças éticas com Serra.
Dilma não é concisa e está visivelmente cansada. Se isso lhe tirou uma certa falta de concisão, não a fez deixar de ir muito bem.
O que faltou, e acho que falta todo o tempo – e está se tornando injustificável – é uma referência maior em Lula.
Espero que a semana final de TV recupere esta ausência.

Nenhum comentário: